es Español

O campo emergente e inovador da tokenização: uma perspectiva conceitual, jurídica e tecnológica - Nota DDSP

"A tokenização tem um enorme poder disruptivo em afetar o papel dos atuais intermediários e, portanto, é um tema ao qual dedicaremos atenção especial em futuras sessões do grupo DDSP de Fide"

Última quinta celebramos a 14ª sessão virtual De Grupo de dinheiro digital e sistemas de pagamento #DDSP de Fide Fundação sobre as possibilidades que a tokenização abre, e tivemos o luxo de ter Alfredo Muñoz Garcia e com Luis Pastor, moderado por Alberto Lopez Nestar bem conhecido por seu envolvimento na análise e prática de novos modelos trazidos pela tecnologia tecnologia blockchain.

Mas qual é o tokenização? Pode ser definido como um sistema de armazenamento, registro e mobilização de tokens que representam direitos de propriedade sobre ativos digitais ou físicos, ou fornecimento de atividades. Tudo isso acontece em sistemas tecnológicos DLT, permitidos ou não, que de fato se tornam transparentes e valiosos sistemas de trânsito de informações através dos fichas. o token economia tem um potencial transformador que atinge todos os setores.

A tokenização aumenta a liquidez dos ativos que são digitalizados em blockchains graças ao efeitos de rede, é uma fórmula de mobilização menos friccional do que os sistemas atuais, graças a recursos como trocas atômicas. Essas operações permitem a interoperabilidade entre diferentes blocos de blocos e entre as operações onchain y fora da cadeia.


Por este motivo, é necessária uma lei que reconheça os direitos legais dos proprietários de tokens e regule as relações entre os participantes nos diferentes processos (criadores, prestadores de serviços, utilizadores, ...)
O setor financeiro é fundamental na tokenização, uma vez que o dinheiro é desmaterializado (já é mais de 90% digital), assim como os mercados de ações mundiais. É necessário regular a titularidade legal das fichas e o quadro de atuação dos intervenientes. No futuro Regulamento Europeu do Regime Piloto e os experimentos do Sandbox financeiro Os espanhóis são iniciativas exemplares.


A regulamentação sobre a tokenização está avançando gradualmente em países como França, Alemanha, Luxemburgo ou fora da UE, na Suíça ou no Liechtenstein. Está sendo gerado arbiterno regulatório, e novos negócios e spin-offs escolherão as jurisdições mais inovadoras. Acima de tudo, o que está em jogo é o redesenho das economias para aproveitar o blockchain. Futura regulamentação europeia Mica é uma das mais avançadas, mas não contempla, por exemplo, regulamentação de NFTs.


Agora mesmo, a rede Ethereum e seus diferentes protocolos são os mais avançados em operações de tokenização, mas existem muitos outros, como Solana.


A tokenização já é uma realidade crescente em setores como o imobiliário com Brickex, evidências no mundo do dinheiro como dinheiro inteligente Iberpay, ou no domínio da identidade digital com a Digitalis.


A tokenização tem um enorme poder disruptivo ao afetar a função dos intermediários atuais e, portanto, é um assunto ao qual dedicaremos atenção especial em sessões futuras do grupo. DDSP de Fide.

Henrique Titos

Diretor do Grupo de Trabalho de Dinheiro Digital e Sistemas de Pagamento (DDSP)

Informações da sessão:

SESSÃO DO GRUPO DE DINHEIRO DIGITAL E SISTEMAS DE PAGAMENTO: O CAMPO INCIPIENTE E INOVADOR DA TOKENIZAÇÃO: UMA PERSPECTIVA CONCEITUAL, JURÍDICA E TECNOLÓGICA (I) - (ONLINE)

 SESSÃO FIDE
 QUINTA-FEIRA, 02 DE DEZEMBRO DE 2021
 16h00 - 18h00

Apresentar a sessão:

  • Imagem de Enrique Titos Martinez placeholder, Conselheiro Independente. Conselheiro Consultivo. Diretor do GT "Moeda Digital e Sistemas de Pagamento" da Fide, Conselheiro Acadêmico da Fide

Palestrantes:

  • Alfredo Muñoz Garcia, Professor de Direito Comercial, Universidade Complutense de Madrid. Advogado.
  • Luís Pastor Perez, Sócio-gerente de consultoria, Grant Thornton.

Moderador:

  • Alberto Lopez Nestar, Diretor de Tecnologia e Projetos, Iberpay.

Objetivos:
Por anos, vivemos em um mundo digital acelerado. Novos produtos e serviços digitais fazem parte do nosso dia a dia, coexistindo com atividades físicas e analógicas como sair para comer, trabalhar na empresa ou sair de férias. Essas atividades estão sendo digitalizadas por meio de reservas online, trabalho remoto ou planejamento de viagens na web. Mas agora estamos entrando em uma nova fase, a tokenização de quase tudo, ainda muito cedo, mas sem dúvida já na agenda de muitas empresas, instituições e até governos.

Mas o que é tokenização?

Tokenização é o processo pelo qual ativos, atividades ou serviços são representados digitalmente em redes blockchain, públicas ou privadas, de tal forma que ambientes e mercados são criados onde os tokens resultantes são identificáveis ​​e atribuíveis, transferíveis, rastreáveis ​​e imutáveis ​​de acordo com sua programação código e regime jurídico aplicável. Seu sistema operacional responde a protocolos de codificação e consenso entre as partes que, em algumas ocasiões, possuem um sistema de governança estabelecido no código, o que os torna previsíveis, escaláveis, automáticos e adaptáveis ​​às mudanças conforme estabelecido no sistema de protocolo. Os tokens, em contraste com os registros centralizados que mantêm ativos e atividades substancialmente imóveis, podem gerar alta eficiência, melhorar a liquidez, a confiança e a rastreabilidade quando transferidos em fontes de informações transparentes baseadas em tecnologias de blockchain. Além disso, podem se conectar ao mundo real por meio de oráculos, peças que permitem a realização de uma transação a partir de um evento externo, como a transmissão de um valor segurado em caso de cancelamento de voo.

A tokenização pode viver e se desenvolver paralelamente ou em paralelo com criptomoedas, e a tokenização pode ser classificada como uma nova dimensão do uso de dados, criando um incentivo para quem a cria diante de modelos de exploração de dados de grandes corporações. A melhor prova disso é a explosão do mercado de NFT.

Como a tokenização é “uma camada” que se sobrepõe a ativos e serviços físicos e digitais tremendamente variados, é fundamental, em uma primeira dimensão, conhecer sua estrutura conceitual e perímetro, para saber por que as empresas devem desenvolver uma “estratégia de tokenização”. Em segundo lugar, para oferecer novos sistemas de representação e registro de propriedade e transmissão de tokenização, é essencial entender seu arcabouço legal, até que ponto ele foi desenvolvido até o momento, como podem ser as futuras reformas regulatórias.

Por fim, e como a tecnologia blockchain (ou, em geral, tecnologia DLT) é a chave para a tokenização, é útil conhecer os modelos mais aplicados nas atividades mais desenvolvidas, entendendo que todas as tecnologias, e em particular o blockchain, estão em desenvolvimento e processo de crescimento.

Nos próximos anos, veremos como, como antes do software, “a tokenização está comendo o mundo”. Melhor começar mais cedo do que tarde. Esta sessão será a primeira de uma série de sessões sobre o fenômeno da tokenização.

Metodologia: A dinâmica de realização da sessão respeitará o sistema habitual de Fide e também a participação e interação dos palestrantes e participantes, realizando exclusivamente as mudanças exigidas pela sua celebração online. Todas as sessões que desenvolvemos em Fide convocados sob a Regra da Chatham House, os participantes têm o direito de usar as informações que recebem, mas a identidade ou afiliação de qualquer outro participante não pode ser revelada.

Se o artigo foi interessante para você,

Convidamos você a compartilhar nas Redes Sociais

Twitter
LinkedIn
Facebook
E-mail

Deixe um comentário

Este site usa o Akismet para reduzir o spam. Saiba como seus dados de comentário são processados.

Contacto

Preencha o formulário e alguém de nossa equipe entrará em contato com você em breve.