es Español

Grupo de trabalho

Os efeitos temporários da fixação e alterações de critérios interpretativos em matéria fiscal

Por quê?

Este grupo de FIDE, foi criado com o objetivo de contribuir para a determinação dos efeitos no tempo da fixação e alteração dos critérios interpretativos em matéria tributária, questão que sempre foi problemática e que adquiriu nova e especial relevância com o novo recurso no contencioso -ordem administrativa.

Áreas de Análise

  1. Área fiscal
  2. Relação jurídico-tributária
  3. Relações com o regime sancionatório fiscal

Publicações

Os efeitos temporários da fixação e alterações de critérios interpretativos em matéria fiscal

A principal proposta obtida após o trabalho realizado pelo GT -de composição multilateral com a presença dos diferentes operadores jurídicos no campo tributário- é a necessidade de abrir um debate geral que permita (i) tornar visíveis os diferentes problemas práticos que surgir para os cidadãos e para as Administrações Públicas, e, com base nisso, (ii) chegar a soluções que evitem possíveis litígios adicionais, ou colaterais, gerados pelas incertezas quanto ao alcance e efeitos ao longo do tempo da doutrina estabelecida quando o Supremo Tribunal diferentes recursos de cassação

No momento em que tramitam várias iniciativas parlamentares com impacto na regulamentação processual, o GT formula algumas conclusões parciais a ter em consideração, propondo alternativas diferentes naqueles aspetos em que não é mantida uma posição idêntica por todos os membros do GT.

Além disso, no decorrer dos trabalhos e debates do GT, percebeu-se que certos aspectos regulatórios, funcionais ou organizacionais que dizem respeito à dinâmica do novo recurso no ordenamento contencioso-administrativo podem estar operando como condicionantes, talvez aconselhando um processo de debate sobre possíveis ajustes (revisão ou complementação em relação a determinados aspectos) que fica fora dos trabalhos concluídos pelo GT até o momento.

Participaram deste grupo de trabalho: 

  • Jesus Manuel Gendra Vice-Diretor Geral de Assistência Jurídica e Coordenação Regulatória, Agência Estadual de Administração Tributária, AEAT
  • Carlos Gomes Jiménez, Vice-Diretor Geral de Impostos, Ministério das Finanças
  • Juan Carlos González Barral Magistrado do Tribunal Administrativo-Contencioso, ex-Advogado do Supremo Tribunal e Tribunal Constitucional
  • Joaquin Huelin Martinez de Velasco, Parceiro, Cuatrecasas
  • Ana Maria Juan Lozano, Professor de Direito Financeiro e Fiscal da Universidade de Valência. Assessor Acadêmico de Fide
  • Diego Loma Osório Diretor do Serviço Jurídico do Estado da Agência de Administração Tributária do Estado, AEAT
  • Glória Marina, Sócia do departamento de Direito Tributário, Uría Menéndez
  • Eva Martin Diaz Sócio, Cuatrecasas
  • Manuel Martinez Chefe, Vice-Diretor Geral de Planejamento Jurídico e Assistência Jurídica, Agência de Administração Tributária do Estado, AEAT.
  • Gerardo Martinez Tristão, AN Magistrado e membro do Conselho Geral da Magistratura, CGPJ
  • Isaac Merino Jara, Magistrado Terceira Secção, Segunda Secção, Supremo Tribunal.
  • Antonio Montero Domingues, Inspetor do Tesouro do Estado. Agência Estadual de Administração Tributária, AEAT
  • Salvador Ruiz Gallud, Sócio, Equipe Econômica
  • José Inácio Ruiz Toledano Membro de Tributação Direta de Pessoas Físicas no TEAC.
  • Luz Ruibal Pereira, Professor Titular de Direito Financeiro e Tributário Ex-Advogado do Supremo Tribunal Federal e Secretário da Comissão Institucional para elaboração de proposta de texto da LOPJ
  •  

Estas propostas do Grupo de Trabalho Pensões de FIDE, foram elaborados a partir das contribuições e intervenções de todos os participantes do referido grupo. Embora logicamente não representem a opinião unânime de todos, refletem as questões sobre as quais o debate se concentrou.

Todas as pessoas que participaram deste grupo de trabalho de Fide, o fizeram a título pessoal e não por conta das entidades, escritórios, Universidades ou empresas, onde exercem a sua actividade profissional, pelo que estas conclusões não refletem e não incluem posições institucionais mas sim particulares de cada um dos os membros do grupo.

Fide agradece a todos os membros do GT pelo trabalho de análise e reflexão já realizado Ana Maria Juan Lozano, Professor de Direito Financeiro e Fiscal da Universidade de Valência. Assessor Acadêmico de Fide, o trabalho de liderança do GT, além de ter trabalhado em conjunto com Luz Ruibal Pereira, Professor Titular de Direito Financeiro e Tributário Ex-Advogado TS e Secretário da Comissão do Ministério da Justiça para a modificação da LJCA quanto ao recurso, na incorporação de todas as contribuições de cada um dos membros do grupo de trabalho, cujo resultado é este Documento de Conclusões e Propostas.

Foram meses em que pudemos debater e trabalhar intensamente e foi uma honra e um privilégio contar com as contribuições de todos os integrantes do Grupo.

Diretor de Grupo

Ana maria juan lozano

Professor de Direito Financeiro e Fiscal da Universidade de Valência. Assessor Acadêmico de Fide.

Coordenação acadêmicaVictoria Dal Lago, Ana de Santiago

Contato

Preencha o formulário e alguém de nossa equipe entrará em contato com você em breve.