es Español

Fórum de Notícias Trabalhistas

El Fórum Trabalhista de FIDE nasceu com o firme propósito de servir de ponto de encontro para reunir profissionais desta disciplina de forma a poderem trocar ideias e opiniões sobre os diversos temas de interesse comum e da atualidade do mundo do trabalho, que são definidos para cada acadêmico ano, de forma a que as diferentes perspetivas dos palestrantes e participantes possam ser ouvidas, enriquecendo o debate com pontos de vista, questões, opiniões, conselhos e experiências que são livremente contribuídos em cada sessão.

Metas 21-22

  • O possível futuro novo Estatuto dos Trabalhadores
  • Mudanças na Lei Regulamentadora da Jurisdição Social
  • O papel do sindicato no futuro cenário de negócios pós-cobiça
  • O impacto do teletrabalho na relação entre os sindicatos e a força de trabalho
  • Demissão após ERTEs e ERTEs fraudulentos
  • O novo regulamento sobre igualdade
  • Questões recentes sobre remuneração variável
  • Reserva de documentação - segredos comerciais
  • A análise jurisprudencial do Supremo Tribunal Federal

Ricardo Casamentos

Diretor.
Magistrado de la Sala Cuarta del Tribunal Supremo. Consejero Académico de Fide.

Antonio de la Fonte

Diretor.
Director Corporativo de Recursos Humanos y Organización, Globalia y Presidente de ADiReLab. Consejero Académico de Fide.

Carlos de la Torre Garcia

Diretor.
Socio. Of Counsel del Departamento Laboral de Baker Mckenzie. Inspector de Trabajo (en excedencia). Socio fundador y Vicepresidente de ADIRELAB. Consejero Académico de Fide.

Martin Godino Reyes

Diretor.
Sócio-gerente da Sagardoy Abogados. Diretor Geral da Fundação Sagardoy. Professor do Mestrado em Consultoria de Negócios da ESIC. Professor do Mestrado em Direito do Trabalho da Fundação Sagardoy.

Jesus R. Mercader Uguina

Diretor.
Catedrático de Derecho del Trabajo, Universidad Carlos III de Madrid. Counsel, Uría Menéndez. Consejero Académico de Fide.

Publicações

Descubra todas as publicações, resumos de sessões e outros documentos relacionados à atividade deste fórum:

22 outubro 2019

Palestrante: Martín Godino Reyes, Sócio-gerente, Sagardoy Abogados

Moderador: Ricardo Bodas Martin, Presidente da Câmara Social do Tribunal Superior Nacional. Membro do Conselho Académico de Fide

Resumo:

O aparecimento e multiplicação nos últimos anos de actividades que se organizam através de plataformas digitais e que colocam os consumidores finais em contacto com quem oferece serviços de consumo massivo, deu origem a um tipo de trabalho caracterizado por uma relativa autonomia de quem o empresta, compatível com uma organização inexistente ou precária dos meios materiais para emprestá-los. Neste complexo esquema de negócios, a relação entre o dono da plataforma ou aplicativo digital e quem, por meio dela, efetivamente presta o serviço ao consumidor final, vem se revelando polêmica em todos os ordenamentos jurídicos, o que vem abrindo um debate sobre a natureza jurídica da dito relacionamento.

Já existem alguns pronunciamentos judiciais, intensa intervenção administrativa e a formulação de propostas doutrinárias para solucionar a polêmica. Sabê-lo é, sem dúvida, de uma importância manifesta para todos os juristas e em particular para os trabalhadores.

19 novembro 2019

Palestrantes:

  • Jose Luis Piñar Mañas, Professor de Direito Administrativo, Universidad San Pablo CEU. Of Counsel, CMS Albiñana & Suárez de Lezo. Membro do Conselho Académico da Fide

     

  • Jesus R. Mercader Uguina, Professor de Direito do Trabalho na Universidade Carlos III de Madrid. Conselho de Uría Menéndez. Membro do Conselho Académico de Fide

 

Moderador: Carlos de la Torre Garcia, De Advogado no Departamento de Trabalho da Baker & McKenzie SLP. Inspetor do Trabalho e Previdência Social (de licença). Membro do Conselho Académico da Fide

Resumo:

Proximamente ao ano de entrada em vigor da Lei Orgânica 3/2018, de Proteção de Dados e Garantia de Direitos Digitais, consideramos oportuno fazer um balanço global da sua implementação e das principais questões que suscitou nos últimos meses tendo em conta conta, em particular, as primeiras interpretações feitas pela Agência Espanhola de Proteção de Dados. Por outro lado, os primeiros pronunciamentos judiciais emitidos por tribunais nacionais e internacionais (entre os quais se destaca o recente pronunciamento da Grande Câmara no caso López Ribalda), no que diz respeito à aplicação dos direitos digitais, exigem uma reflexão sobre a evolução do norma na prática de nossas relações de trabalho e avaliar os efeitos que essas linhas interpretativas nascentes trazem consigo.

Dezembro 3 2019

Palestrantes:

  • Maria luisa segoviano, Magistrado da Câmara IV do Supremo Tribunal

  • Rosa Virolés, Magistrado da Câmara IV do Supremo Tribunal

Moderador: Carlos de la Torre Garcia, De Advogado no Departamento de Trabalho da Baker & McKenzie SLP. Inspetor do Trabalho e Previdência Social (de licença). Membro do Conselho Académico da Fide

Resumo:

Durante a sessão, tivemos a oportunidade de abordar questões atuais relacionadas à desconexão digital, privacidade, uso de dispositivos digitais, geolocalização, gravação de imagens e sons, etc. Foram examinados os últimos acórdãos proferidos pelo Tribunal de Justiça da União Europeia, pelo Tribunal dos Direitos do Homem e pela Quarta Secção do Supremo Tribunal.

6 de febrero de 2020

Palestrante: Carolina San Martin, Professor de Direito do Trabalho e Previdenciário da Universidade Rey Juan Carlos

Moderador: Ricardo Casamentos Martin, Magistrado da IV Câmara do Supremo Tribunal Federal. Membro do Conselho Académico da FIDE

Resumo:

Redação atual neste artigo. 34.8 TE reformula as possibilidades de adaptação do horário de trabalho para torná-lo compatível com a vida familiar. O preceito oferece diretrizes, mas também levanta incógnitas, que os órgãos judiciais estão começando a enfrentar. Ele percebeu tudo isso na sessão, a fim de identificar as chaves interpretativas aplicáveis.

4 de março de 2020

Palestrante: Lurdes Arastey, Magistrado da Câmara Social do Supremo Tribunal Federal

Moderador: Martin Godino Reyes, Sócio-gerente da Sagardoy Abogados

Resumo:

Direitos fundamentais que não são estranhos ao quadro de proteção da Convenção para a Proteção dos Direitos do Homem e das Liberdades Fundamentais e seus Protocolos (CEDH). Neste domínio, as possibilidades de intervenção do Tribunal Europeu (CEDH) são particularmente relevantes na medida em que o seu regulamento processual permite o acesso dos próprios cidadãos através de acções individuais contra Estados vinculados pela CEDH. Os últimos pronunciamentos da CEDH relacionados às questões sociais - alguns deles relacionados ao nosso país - mostram a necessidade de se aproximar das características processuais dessa instância supranacional.

Coordenação acadêmica: vitória Dal Lago Demi

Contacto

Preencha o formulário e alguém de nossa equipe entrará em contato com você em breve.